JULHO AMARELO

JULHO AMARELO

 

 

 

O mês de Julho na cor Amarela nos trouxe a conscientização, para um gupo de doenças que existem vacinas, vale lembrar que o diagnóstico precosse salva vidas !

As hepatites virais B, C e D são doenças infecciosas que atacam principalmente o fígado e, embora nem sempre apresentem sinais e sintomas, quando não diagnosticadas, podem acarretar complicações das formas agudas e crônicas, muitas vezes levando à cirrose ou ao câncer de fígado.

 

Diagnóstico

A falta do conhecimento da existência das doenças é o grande desafio. Por isso, a recomendação é que todas as pessoas com mais de 45 anos de idade façam o teste, gratuitamente, em qualquer posto de saúde e, em caso de resultado positivo, realizem o tratamento – que está disponível na rede pública de saúde.

A campanha “Julho Amarelo” reforça as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites virais

 

Tratamento

A primeira etapa do tratamento é a consulta com o profissional de saúde, que fará a avaliação física do paciente e a solicitação de exames específicos. Pelo fato de serem combatidas pelo próprio sistema imunológico, as hepatites A e E são eliminadas do organismo naturalmente. Contudo, é necessário buscar melhores condições de saneamento e higiene, sobretudo durante o preparo dos alimentos.

“Para hepatite C, o tratamento é feito com um comprimido por dia. O paciente toma a medicação por 8 a 24 semanas. Não há efeito colateral e praticamente não há contraindicação. A chance de cura é de quase 100%. O tratamento da hepatite B também é realizado com medicamento, mas não cura. O paciente toma o remédio para zerar a carga viral e proteger o fígado. Ainda não temos remédio capaz de eliminar o vírus da B do organismo”, detalha.

Infectada pelo tipo C, Didi acredita que contraiu o vírus durante uma transfusão sanguínea. Hoje, já está curada e é grata pelo atendimento que recebe no São José. “Graças a Deus, eu me curei. Mas, por conta da doença, eu fiquei com uma cirrose e sou acompanhada aqui. A equipe sempre me recebeu e me recebe muito bem”, elogia.

As hepatites A e E são ocasionadas por água ou alimentos contaminados. “A hepatite A não cronifica e cura na maioria das vezes. Para ela, tem vacina. Já a E tem pouca importância epidemiológica, mas, em grávidas, ela pode causar hepatites muito graves, podendo, ainda, cronificar em pacientes imunossuprimidos. Lembrando que os porcos são vetores da hepatite E”, pontua.

Já as hepatites B e C e D podem ser disseminados por sangue ou sexo. Desta forma, pode acontecer o contágio intrauterino, que ocorre quando a mãe transmite o vírus para o feto.“Os tipos C e B são considerados os mais graves, sendo, inclusive, a primeira e a quarta causa respectivamente de transplante de fígado no Ceará”, acrescenta Hyppolito.

 

Prevenção

- Use preservativos em todas as relações sexuais.

- Não compartilhe objetos de uso pessoal, tais como agulhas, alicates de unha e lâminas de barbear.

- Exija sempre materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e piercing, consultórios médicos, odontológicos, manicures, etc.

- Lave as mãos (incluindo após usar o banheiro, trocar fraldas e antes do preparo de alimentos).

- Lave bem os alimentos antes do consumo.

- Vacine-se contra as hepatites A e B.

 

Fonte: https://www.saude.ms.gov.br/julho-amarelo-alerta-para-a-prevencao-diagnostico-e-tratamento-das-hepatites-virais/

https://www.saude.ce.gov.br/2021/07/05/julho-amarelo-hospital-sao-jose-orienta-sobre-prevencao-e-controle-das-hepatites-virais/

https://www.conquistesuavida.com.br/noticia/as-cores-dos-meses-e-os-seus-significados-entenda-cada-campanha-voltada-a-saude_a7727/1

 

Receba mais posts como este.
Assine nossa NEWSLETTER.